R e v i s t a . e l e c t r ó n i c a . d e . f i c ç ã o . c i e n t í f i c a . e . f a n t á s t i c o

O Homem Adrenotrópico

por Keith Brooke

tradução de João Barreiros

conto publicado em 23.11.2001

republicado em 07.12.2003

Um homem, rico e poderoso, dono de uma das empresas de proa da revolução biotecnológica, é assassinado de uma forma invulgar. Mas apesar de assassinado, continua a viver.
Leia o conto em:

ISBN: 989-8072-05-9

ISBN (13): 978-989-8072-05-4

Historial

Publicado originalmente na revista britânica Interzone, nº 30, de Julho de 1989.

Publicado na revista online Infinity Plus, em Agosto de 1997. (ler o original)

O Autor fala sobre a obra

tradução de Jorge Candeias
 
Por um triz não me tornei contabilista...
Isso ainda me parece uma ideia horrível, mesmo agora passados quinze anos. Em meados dos anos 80, a contabilidade era uma opção popular para estudantes que não se decidiam sobre as suas carreiras futuras - popular para os conselheiros vocacionais, pelo menos, já que havia vagas aos montes. Fui a algumas entrevistas, foram-me orefecidos alguns empregos, aceitei um deles e foi então que o horror me atingiu: contabilidade! Uma vida inteira de fato e gravata, sem tirar os olhos de folhas de cálculo, estudando leis fiscais e estratégias de investimento. Aquilo simplesmente não era eu.
A minha noiva empurrou-me na direcção certa. Farta de me ouvir resmungar acerca da perspectiva de passar uma vida na contabilidade, disse: "Bem, porque não tiras um ano? Podes escrever aquele livro que andas sempre a dizer que queres escrever". Nessa altura já escrevia há um par de anos. Tinha vendido algumas histórias a revistas pequenas mas não mais do que isso: escrever a tempo inteiro era um risco enorme, mas a Alison falava a sério - ela iria sustentar-me enquando eu escrevia.
Acabámos os cursos, casámos e o meu ano de escrita começou. Escrever um romance parecia-me um passo demasiado grande, portanto comecei a pensar em ideias para contos. O Homem Adrenotrópico apareceu-me um belo dia: a ideia de um homem a contar o seu próprio assassínio e sendo transformado pela experiência de formas insuspeitadas. Assim que tive esta ideia soube que era muito melhor que qualquer ideia que tivera até então. À medida que ia escrevendo essa sensação ia aumentando, e quando acabei soube que a minha escrita tinha subido a um novo patamar.
Enviei o conto à Interzone e o sub-editor, Simon Ounsley, respondeu dizendo que tinha gostado mas que havia uma ou duas falhas na lógica. Tinha razão, portanto fiz algumas pequenas alterações ao conto, reenviei-o e ele foi aceite: a primeira história que produzira como escritor a tempo inteiro transformara-se na minha primeira venda profissional.
A história era futuro próximo quando a escrevi, mas actualmente as datas situam-se no passado próximo - todas as histórias de futuro próximo acabam desta forma, como uma espécie de história alternativa. Não me parece que tenha envelhecido muito mal: algo como isto poderia facilmente ter acontecido nos anos 90.
 
Keith Brooke, Outubro de 2001

Gostou deste texto? Ajude-nos a oferecer-lhe mais!

 

O Homem Adrenotrópico

Bem-Vindos ao Planeta Verde

in O Planeta das Traseiras

Keith Brooke escreveu:

 

Lord of Stone

Cosmos (EUA)

2001

 

Head Shots

Cosmos (EUA)

2001

 

Parallax View

com Eric Brown

Sarob Press (Reino Unido)

2000

 

Expatria Incorporated

Victor Gollancz (Reino Unido)

1992

 

Expatria

Victor Gollancz (Reino Unido)

1991

 

Keepers of the Peace

Victor Gollancz (Reino Unido)

1990

 

Keith Brooke editou:

 

Infinity Plus One

com Nick Gevers

PS Publishing (Reino Unido)

2001

Keith Brooke é o principal responsável pelo site

Infinity Plus